Inconfidência

Integrando trabalhadores terceirizados à cultura organizacional

A terceirização é uma ótima maneira de reduzir custos operacionais e elevar a qualidade do trabalho. Você pode delegar funções como limpeza, portaria e jardinagem a equipes especializadas na tarefa. Porém, aos olhos do cliente, os prestadores de serviço podem ser vistos como funcionários efetivos da empresa.

É por isso que a cultura organizacional precisa ser reforçada entre todos os colaboradores. Sejam diretos, sejam terceirizados, os profissionais devem conhecer o propósito do próprio ofício. Mais que isso, devem ser instruídos para poderem atender ao público sempre que necessário.

Quer saber como fazer isso? Então siga conosco.

O que define a cultura organizacional na empresa

Todo empreendimento nasce com um motivo: solucionar problemas, proporcionar conveniência ao consumidor e por aí vai.  É o que os empresários chamam de missão, a razão de existir.

Para se atingir esse ideal, são listados objetivos que definem a visão do negócio. Poderíamos citar exemplos como “oferecer educação básica de excelência” ou “ser a melhor academia da cidade”.

O pacote fica completo com os valores, ou seja, os princípios que norteiam o trabalho. Eficiência, agilidade, transparência, honestidade e organização são algumas opções.

Esse conjunto de ideias compõe a cultura organizacional. No entanto, não basta listá-las no papel. É preciso levá-las à prática, e isso se faz no dia a dia. Toda ação desempenhada por um colaborador deve ser coerente com o discurso da firma.

Sendo assim, nada mais justo que apresentar a missão, a visão e os valores organizacionais à equipe terceirizada. Afinal, embora os prestadores de serviço não estejam no quadro fixo de funcionários, eles também causam impacto nos resultados.

Como aliar cultura organizacional à terceirização de serviços

Certo, mas como trabalhar a cultura organizacional com terceiros? Você pode realizar um evento de integração. Não precisa recorrer a dinâmicas de grupo nem nada muito complexo. Uma simples reunião de boas-vindas pode funcionar.

Certifique-se de que o gestor apresente aos terceirizados alguns pontos chave, como o histórico da empresa, os produtos ou serviços que ela desenvolve e, claro, os valores que norteiam as equipes. Assim, você conseguirá demonstrar aos colaboradores o que se espera de cada um deles.

Vale a pena incluir os funcionários diretos nesse processo. O pessoal “da casa” tem que entender quem são os terceirizados, por que esse grupo foi contratado e como seu trabalho será útil para os objetivos do negócio.

No mais, como o nome diz, o evento de integração é o momento certo para os colegas (efetivos e temporários) se conhecerem. Essa proximidade melhora as relações diárias.

Os prestadores de serviço já são treinados para realizar suas tarefas com qualidade e eficiência. Um profissional da limpeza sabe como higienizar um escritório sem danificar os móveis e utensílios. Ainda assim, você deve repassar algumas instruções iniciais sobre como a estrutura organizacional funciona.

Digamos que um cliente chegue à portaria do condomínio empresarial e pergunte pelo “Dr. Fulano”. O mínimo que se espera é que o atendente saiba de quem se trata, né?

Só que o visitante pode se dirigir a um faxineiro ou jardineiro, antes mesmo de entrar no prédio. Nesse caso, o colaborador também deve estar apto a prestar informações. Se o funcionário não souber a resposta exata, ao menos precisa conhecer o procedimento padrão: “Por favor, dirija-se à recepção e o atendente saberá lhe informar”.

Lembre-se: todos os colaboradores são “a cara” de sua empresa. Portanto, a cultura organizacional deve ser trabalhada inclusive entre as equipes terceirizadas.

Gostou? Esperamos que o artigo de hoje tenha sido útil. Obrigado pela leitura e até a próxima!

Assine nosso blog!

Assine nosso blog!