Inconfidência

Qual é a quantidade de produto certa para a limpeza profissional de ambientes?

A higienização de ambientes é indispensável para um estabelecimento comercial. A sujeira atrai microrganismos causadores de doenças, além de acelerar a deterioração dos móveis. Por isso, uma sala limpa significa mais saúde para o público e mais economia para a empresa.

Seguindo a lógica, fica a pergunta: qual é a quantidade de produto necessária para uma limpeza profissional? Afinal, o investimento em detergentes e desinfetantes terá impacto direto no orçamento da firma, não é mesmo? Pois a resposta é menos óbvia do que parece.

Limpeza profissional: quantidade X qualidade

Imagine uma cozinha engordurada ou um depósito abandonado, daqueles que não passam por faxina há meses. Em situações assim, a saída será a limpeza pesada. É bem provável que se gaste bastante material para remover as incrustações difíceis.

Porém, no dia a dia corporativo, o serviço de higienização costuma ser bem mais simples. E a abordagem também muda. Nem sempre mais produto significa mais resultado, pois o que importa é a qualidade do sanitizante.

Por exemplo, você sabia que existem artigos de limpeza específicos para cada superfície? Há opções para remover manchas de vidraças, para higienizar o carpete e por aí vai.

Esses produtos têm ação direcionada, garantindo maior eficiência com o menor esforço. Em outras palavras, basta uma quantidade moderada para obter o efeito desejado.

Mas por que não utilizar apenas álcool para limpar do chão ao teto? Seria uma alternativa barata, né?

Bem, essa substância resseca objetos de acrílico, danifica componentes eletrônicos e se mostra ineficaz para tirar certas nódoas. Ou seja: optar pelo abrasivo seria um desperdício de recursos da organização. Você gastaria litros e litros de álcool sem sucesso, inclusive causando mais estragos que benefícios.

Higienização profissional é trabalho para especialistas

Bem, já entendemos que não se trata da quantidade de produto de limpeza, mas da qualidade. Junto a isso, é preciso conhecimento técnico para garantir uma higienização de ambientes segura.

A combinação de certas substâncias é arriscada. A reação entre elas pode causar de explosões à liberação de gases tóxicos. Portanto, os trabalhadores que manipulam esses materiais devem saber interpretar a Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ). Nela, o fabricante indica o modo de aplicação correto, bem como lista os componentes perigosos da fórmula e os cuidados em caso de emergências.

Outro cuidado diz respeito ao uso de equipamentos de limpeza. Máquinas como aspirador de pó e enceradeira também demandam precauções. Um aspirador sem proteção no bocal vai arranhar um piso de porcelanato. Já o uso de lustra-móveis para o polimento do chão de madeira tornará a área escorregadia demais.

Trocando em miúdos, a equipe de limpeza deve passar por treinamento de qualificação. Um curso específico garantirá que esses colaboradores escolham os melhores produtos e saibam realizar a higienização de acordo com as boas práticas do setor.

Quer economizar? Então recorra à terceirização do serviço de limpeza. Você pagará uma taxa única pela realização da tarefa. A empresa prestadora enviará ao estabelecimento um grupo de profissionais treinados, que seguem normas de segurança e utilizam o próprio material de trabalho.

No fim das contas, você nem precisa saber qual é a quantidade certa de desinfetante para o seu banheiro, muito menos gastar com a compra do produto. Delegue o trabalho a quem entende do assunto e mantenha o foco do seu negócio.

Gostou? Saiba mais sobre terceirização de serviços. Entre em contato com a Inconfidência e veja como podemos ajudar você.

Assine nosso blog!

Assine nosso blog!