Condomínio residencial: cuidados para limpeza e desinfecção das áreas comuns

Condomínio residencial: cuidados para limpeza e desinfecção das áreas comuns

Todo síndico deve se preocupar com a limpeza e a desinfecção das áreas comuns de um condomínio. Devido à alta circulação de pessoas, esses espaços podem representar risco biológico aos moradores, ajudando a espalhar doenças. Porém, não adianta recorrer apenas a uma faxina reforçada. Você precisa contar com o auxílio de todos.

Etiqueta dos condôminos ajuda na limpeza das áreas comuns

Desde a pandemia de Covid-19, a população passou a se preocupar mais com hábitos de higiene. Rotinas simples, como lavar as mãos várias vezes ao dia, tornaram-se comuns para frear a proliferação de vírus. Por que não adotar esses cuidados o ano inteiro? Se cada vizinho ou colaborador fizer sua parte, o condomínio será um ambiente bem mais saudável!

Além do asseio pessoal, outros comportamentos podem ser estimulados com campanhas internas. A lista inclui:

– Evitar o uso de elevadores quando outras pessoas estiverem lá dentro;

– Restringir o número máximo de usuários de quiosques, playgrounds e piscinas (para diminuir aglomerações);

– Disponibilizar álcool em gel para a higienização das mãos, junto aos elevadores ou na portaria do prédio;

– Exigir que porteiros, zeladores e funcionários da limpeza utilizem máscaras de proteção (pelo menos durante surtos de doenças);

– Orientar aos moradores com sintomas respiratórios que permaneçam em casa o maior tempo possível, sem circular pelas áreas comuns.

Também é importante encontrar referências confiáveis de informação. Sempre que uma nova enfermidade ganha as manchetes da imprensa, surgem muitos boatos nas redes sociais, o que pode dificultar a adoção de procedimentos seguros.

Para combater as fake News, baseie-se apenas em fontes oficiais antes de determinar novas políticas aos condôminos. Recorra às diretrizes do Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde ou mesmo da Associação de Administradores de Condomínios da sua região.

Como realizar a limpeza e a desinfecção de espaços comuns do condomínio

Em paralelo aos cuidados individuais, você deve prestar atenção às rotinas de limpeza. Isso porque a faxina regular pode não ser suficiente para eliminar riscos biológicos. A higienização de ambientes, para afastar qualquer possibilidade de contágio, prevê:

– Limpeza frequente das superfícies de contato, como corrimões, maçanetas e botoeiras de elevadores;

– Aplicação de desinfetante adequado a cada material (nem sempre se recomenda álcool, pois ele pode ressecar a mobília, por exemplo);

– Descarte correto do lixo, de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS);

– Uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), como luvas e máscaras, durante os procedimentos de higienização.

O ideal é que a equipe responsável pela tarefa realize treinamento específico. Assim, você tem a garantia de que o serviço será realizado com qualidade, segundo as melhores práticas de higiene e segurança sanitária.

Quer um conselho? Terceirize a limpeza de seu residencial. O apoio de profissionais é indispensável para atingir bons resultados. E o melhor: essa alternativa custa menos para os moradores. Acesse nosso artigo sobre diminuição do valor da taxa de condomínio e entenda por quê.

Os colaboradores da Inconfidência estão prontos para atender à sua demanda. Entre em contato conosco e solicite um orçamento. Com nossos serviços prediais, sua vizinhança estará mais protegida das ameaças invisíveis.

Atendimento via WhatsApp
Converse via WhatsApp com nossa equipe para tirar suas dúvidas ou solicitar a visita de um consultor em sua empresa