Higienização em academias e centros de treinamento: o que fazer

Higienização em academias e centros de treinamento: o que fazer

Nós já falamos, aqui no blog, que o ambiente de uma academia de ginástica favorece a proliferação de microrganismos. A combinação de suor e respiração ofegante num lugar fechado é a receita perfeita para espalhar vírus e bactérias. E, desde que o mundo passou a enfrentar a pandemia de Covid-19, cresceu a preocupação com um possível contágio.

É por isso que retornamos ao tema da higienização. Os centros de treinamento devem passar por uma rotina constante de limpeza e desinfecção dos aparelhos. Esses cuidados garantem a eliminação de parasitas – o que, consequentemente, ajuda a preservar a saúde dos frequentadores. Veja o que fazer.

Cuidados de higienização em academias de ginástica

De uns tempos para cá, o paninho com álcool 70% se tornou um dos maiores companheiros de treino dos alunos de academias. Isso porque a substância realmente tem propriedades antissépticas, então é capaz de eliminar os micróbios que se proliferam nos acessórios.

Infelizmente, esse resultado vem com um ônus: o etanol resseca materiais. Assim, os estofados dos assentos, bem como os componentes de plástico e acrílico presentes em painéis de esteiras ou outros aparelhos, deterioram-se rapidamente. Trata-se de um prejuízo importante para o estabelecimento.

Uma solução para contornar esse problema seria aplicar sanitizantes de uso profissional. Produtos à base de quaternário de amônia, por exemplo, apresentam baixa agressividade e têm ação bactericida/virucida comprovada. Claro que nem todo mundo tem capacitação técnica para administrar químicos dessa natureza, então é necessário contar com colaboradores qualificados para realizar o serviço de limpeza.

Nesse sentido, a terceirização se mostra como uma boa estratégia. Você contrata uma equipe altamente capacitada, pronta para assumir o trabalho de higienização. Os colaboradores utilizam artigos profissionais, seguem manuais de boas práticas e vestem equipamentos de proteção individual (EPIs) para garantir a total segurança do procedimento.

Bem, mas e os clientes? Esses podem continuar se preocupando com os cuidados pessoais de higiene: lavar as mãos ou aplicar álcool em gel a cada série do treino, manter distância dos colegas e usar máscara durante a atividade física.

Ventilação do ambiente ajuda a prevenir o contágio

Em se tratando de doenças respiratórias, um dos grandes vilões é o ar-condicionado. O uso constante desse aparelho abre espaço para a proliferação de fungos. Sem contar que as gotículas de saliva das pessoas ficam suspensas no ambiente, elevando a possibilidade de contaminação – tanto por Covid-19 quanto por outras enfermidades.

Portanto, não tem jeito: academias de musculação, escolas de dança, boxes de Crossfit e centros de artes marciais devem manter as janelas abertas. A livre circulação renova o ar no interior do prédio, e também leva embora os parasitas.

Talvez não seja muito confortável recorrer a essa medida nos dias escaldantes de janeiro, ou então no auge do inverno. A temperatura controlada colabora no rendimento do exercício, né? Ainda assim, o que está em jogo é a saúde de todos. Logo, deve-se adotar essa precaução sempre que houver surto de alguma doença infecciosa.

Esperamos que as dicas de hoje sejam úteis. Precisando de mais informações sobre terceirização do serviço de limpeza, entre em contato com a Inconfidência. Nossa equipe está à disposição.

Atendimento via WhatsApp
Converse via WhatsApp com nossa equipe para tirar suas dúvidas ou solicitar a visita de um consultor em sua empresa