Inconfidência

Como higienizar o açougue da forma correta

A carne é um produto úmido e com alto teor de proteínas. Essas características favorecem a proliferação de microrganismos no ambiente, alguns potencialmente nocivos. Portanto, a higienização do açougue deve respeitar cuidados específicos. Saiba mais a seguir.

Boas práticas para higienizar açougue

Abaixo listamos orientações gerais que já vão ajudar bastante a manter a organização de açougues e fiambrerias. Para mais conteúdo, consulte a legislação vigente, como a Portaria Nº 749/2019, da Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul.

– O primeiro cuidado diz respeito à refrigeração constante. É preciso manter as carnes sob uma temperatura entre 0°C e 4°C, o que evita a deterioração por micróbios.

– Antes e depois de manipular qualquer alimento, os funcionários precisam lavar as mãos. A assepsia frequente diminui os riscos de contaminação cruzada.

Saiba mais: Como prevenir contaminações na copa e na cozinha

– Os produtos para a limpeza de equipamentos e utensílios do açougue devem ser certificados pelos órgãos competentes, como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Dê preferência a substâncias inócuas, sem cheiro, para que o odor dos objetos não seja transferido à carne.

– Água e sabão, ou detergente neutro, são os artigos mais indicados para a assepsia de pisos e paredes.

– Já o álcool pode ser aplicado na parte externa dos balcões de refrigeração. Na parte interna, use detergente e depois enxágue com água quente para remover resquícios do produto.

– A limpeza do açougue deve ser diária. Pisos, rodapés e ralos precisam ser higienizados ao fim do expediente, ou sempre que houver sujidade excessiva. O mesmo vale para utensílios, bancadas e superfícies de manipulação de alimentos.

Saiba mais: Diferenças entre limpeza, desinfecção, higienização e esterilização

– Os pontos que não têm contato direto com a carne podem ser higienizados semanal ou mensalmente, a depender do uso. É o caso de paredes, portas, janelas, armários, coifas, refrigeradores, interruptores, tomadas e luminárias.

– Armários, bancadas e utensílios têm que ser feitos preferencialmente em aço inox. Trata-se de um material mais fácil de higienizar que madeira, por exemplo, e por isso requer uma frequência maior.

– Teto, piso e paredes do açougue devem ter revestimento claro e fácil de limpar. O azulejo não é recomendado, pois pode acumular matéria orgânica nos rejuntes. Prefira superfícies lisas e impermeáveis.

Saiba mais: Descubra as vantagens da impermeabilização de pisos

Limpeza do açougue: conte com ajuda especializada

Quer uma maneira simples de manter o açougue sempre higienizado e atraente? Recorra à terceirização do serviço de limpeza.

Essa modalidade de contratação é mais barata, já que você não arca com encargos trabalhistas nem precisa investir em treinamento de pessoal. Como os colaboradores são especialistas na função, então já chegam ao local capacitados para desempenhar a tarefa designada.

Isso também garante resultados de qualidade. Afinal, os terceirizados seguem rigorosos padrões de boas práticas e são supervisionados por um chefe de equipe.

Saiba mais no nosso artigo 5 vantagens da terceirização. E aproveite para solicitar um orçamento à Inconfidência. Nossos profissionais estão prontos para contribuir com o sucesso de seu negócio.

Assine nosso blog!

Assine nosso blog!