Inconfidência

Minimercados: como reduzir custos e reter a clientela

Com a pandemia afetando o país há mais de um ano, 83,1% dos minimercados gaúchos registram perda de faturamento. É o que aponta a pesquisa Sondagem de Segmentos, divulgada pela Fecomércio-RS no início de maio. Diante desse cenário, os estabelecimentos precisam reduzir custos com pessoal e encontrar maneiras para reter a clientela.

Os desafios dos minimercados gaúchos na pandemia

Os minimercados são considerados atividade essencial e, portanto, permaneceram abertos mesmo nos períodos mais críticos da Covid-19. Ainda assim, isso não significa que o ramo passou ileso à crise.

O forte aumento de preços registrado no primeiro semestre de 2021 fez a margem de lucro despencar. Os pequenos negócios também enfrentam a concorrência dos hipermercados, que oferecem uma variedade maior de produtos e têm fôlego financeiro para dar desconto na mercadoria com frequência.

Para contornar os obstáculos, é preciso criatividade. E, infelizmente, nem todas as empresas conseguiram se reinventar. Segundo a Fecomércio-RS, embora mais de 80% dos minimercados tenham registrado diminuição na receita, apenas 53,5% desenvolveram medidas para conter a queda das vendas.

Entre os que adotaram estratégias, 45,1% investiram em promoções. Já 21,8% apostaram no delivery, enquanto 17% reforçaram a divulgação da marca e 7,3%, a oferta de novos produtos.

Como reter a clientela do minimercado e reduzir custos

O SEBRAE dá algumas dicas para os empreendedores manterem a clientela fiel. Por exemplo, considerando os novos hábitos de consumo do público, é preciso migrar para uma plataforma de e-commerce.

Se seu empreendimento não tem condições de montar um site próprio, vale recorrer às redes sociais. Um perfil no Instagram ou no Facebook pode ser uma ótima vitrine para divulgar promoções, apresentar novos produtos e até mesmo informar às pessoas sobre os horários de funcionamento da loja.

E que tal diversificar ainda mais os canais de comunicação? Tem mercadinho atendendo inclusive pelo WhatsApp. Essa é uma ferramenta dinâmica para garantir a venda aos grupos de risco, que preferem receber o rancho na porta de casa.

O pagamento também tem que ser facilitado. Pix, PayPal e aplicativos de cobrança devem se somar aos meios tradicionais, como dinheiro e cartão.

Bem, mas todas essas são alternativas para conquistar e reter clientes. O que fazer, então, para reduzir os custos do minimercado?

É bem provável que boa parte das despesas esteja na folha de pagamento dos funcionários. Afinal, além do salário, eles recebem 13º, remuneração de férias e outros encargos.

Por isso, uma boa estratégia é terceirizar a equipe. Existem profissionais de setores como balconistas, limpeza e atendimento que podem entregar ótimos resultados a um preço reduzido.

Saiba mais: Orientações para a limpeza em mercados

Uma prestadora como a Inconfidência capacita os colaboradores periodicamente. Assim, eles já chegam ao local prontos para executar qualquer tarefa, sem necessidade de treinamentos. Além disso, a terceirizadora cobre as custas trabalhistas, então o cliente paga apenas uma taxa pela execução do serviço.

Ainda, é possível fazer uma triagem de pessoal com base num perfil pré-estabelecido. Dessa forma você garante que os trabalhadores se adequem ao ambiente.E então, gostou da ideia? Quer saber mais detalhes? Confira nosso artigo com as 5 vantagens da terceirização. E, precisando de um orçamento, basta entrar em contato conosco.

Assine nosso blog!

Assine nosso blog!